Total de visualizações de página

3 de ago de 2012



 

Por ocasião da “passagem”  de nosso amigo NILSEN CARVALHO para Dimensão Superior, transcrevo na íntegra, a saudação de nosso prezado amigo Flávio Aguiar, a qual foi emocionantemente lida e compartilhada por todos os presentes na Missa de 7º dia, celebrada em sua homenagem (02/08/2012)

Saudação a Nilsinho, após a missa do 7º Dia, realizada da capela do Campus Universitário, celebrada pelo Cônego José Mario.
Estamos todos sensibilizados pela ausência do convívio de Nilsinho, que foi em busca de uma acomodação mais confortável, do que a experimentada, nesta vida terrena. – O amigo querido com suas lembranças.
Ao nascermos, iniciamos um processo de mudanças! Crescemos e envelhecemos. Na vida terrena, a morte corporal se apresenta como o fim normal de vida. Pela fé, passamos da morte para outra vida transformada... Assim, reside a beleza da vida. Morrer, para ver a face do PAI. Desejo, inconteste, dos cristãos!
Nilsinho seguiu, confiante, esse processo. Deixou um legado como exemplo e reflexão. – O amigo religioso com sua história.
Não convém, aqui, externar essa herança. Cada um tem, na imagem e na mente, sua qualificação particular e íntima, sobre o gordo Nilsen.
Uso, o espaço facultado, para afirmar que, saberei honrar a passagem dele, entre nós, mantendo sua memória sempre acesa no meu coração. Seja, em conversas com amigos, pensamentos e orações... Serão, estas recordações, que irão, permanentemente, construir o caminho, para que, sua memória chegue e não se afaste  do meu coração. No meu egoísmo, ele não foi, porque carrego, na minha memória, sua caminhada! – O amigo leal com seu destino.
O que fez Nilsinho, para ser tão querido por aqueles que conviveram com ele, nestes 58 anos. Nilsinho, no meu entendimento, foi, simplesmente, uma pessoa boa e de bom coração. Um altruísta. Um bom amigo. Privei, com muito orgulho, de sua amizade. Éramos amigos! Costumava dizer, quando ele reconhecia nossa amizade: compadre, amigo, a gente sente... – O amigo  amigo com suas amizades
Nilsinho conquistava corações pelo equilíbrio no relacionamento. Não era negativista nem crítico radical. Sempre procurava ver o lado positivo da situação. Humilde, dispensava colocar-se como melhor que os outros; assim traçou sua trajetória universitária. Habilidoso em não machucar e sábio nos elogios. Um homem cortês e bom ouvinte. Gostava de doar-se, ajudar e conversar na intimidade, com os meus filhos e amigos dos seus filhos... Ajudou a muitos! – O amigo  de nobres sentimentos com seus sonhos.
Sua compreensão sobre a dignidade das pessoas passava pelo respeito à família, duradoura e feliz. Daí, sua dedicação, com a cooperação indelével, da sua companheira Dilminha, para desenvolver e unir o seu núcleo familiar, atendendo, no possível, os interesses afetivos de seus filhos: Anne, Bruninho e Nilsen Neto. – O amigo da família, com suas preocupações.
Poderíamos listar inúmeros adjetivos, para qualificar o compadre Nilsinho.  Concluo, salientando o quanto ele era amigável, conversador, compreensivo e generoso. Apenas, indisciplinado, no cuidado com a sua saúde. – O amigo humano, conversador, honesto e alegre, com suas certezas e temores.
Um beijo nos familiares e amigos – O amigo Flávio Aguiar e seus sentimentos, por ter partilhado com Nilsen e seus familiares, alguns acontecimentos marcantes de sua vida”.

 
Flávio José Cunha de Aguiar – Professor Economia da UFRN - flaviojcaguiar@gmail.com